Augusto Cury

Em romance histórico-psiquiátrico, Augusto Cury propõe cura da corrupção

Em romance histórico-psiquiátrico, Augusto Cury propõe cura da corrupção

Em livro, vampiros da corrupção se alojam na mente de um poderoso político, um líder considerado incorruptível

Em "O Médico da Humanidade e a Cura da Corrupção", de Augusto Cury, a humanidade (e especialmente o Brasil) está em chamas devido à corrupção.

Logo fica claro que todo os seres humanos têm vampiros mentais que os obrigam a seguir caminhos como orgulho, ira, inveja, ciúme, dissimulação, ambição e a necessidade neurótica de ser o centro das atenções. Esses vampiros costumam ser imperceptíveis aos hospedeiros, embora os destruam.

Romance histórico-psiquiátrico, "O Médico da Humanidade e a Cura da Corrupção" mostra como esses vampiros se alojaram na mente de um poderoso político, um líder considerado incorruptível.

O homem rejeita a ideia de estar doente até encontrar o misterioso H, médico da humanidade. Para diagnosticar suas fraquezas, H leva o político em uma viagem pela história.

Nessa jornada, ele conhece a formação da personalidade do sociopata Hitler, a prática da guilhotina na Revolução Francesa e a negação de Pedro a Cristo.

Fonte: Livraria da Folha

Voltar

CONTATO

Receba notícias e fique sempre atualizado. Cadastre-se!